(SONS)

sábado, 13 de fevereiro de 2010

O Pássaro de Fogo


De tanta luz
a folha perdeu seu verdor,
de tanta brisa as folhas
caíram.
de tanto amor
fez-se o outono...

de tanto vegetar
as raízes destruíram a calçada,
de tantas pessoas as calçadas
ressurgiram.
de tanto ódio
fez-se o verão...

de tantas flores
o jardim ficou intocável,
de tão intocável o jardim
se tornou belo.
de tanto amor
fez-se o inverno...

de tanto frio
desejei a luz, de tanto viver
quis vegetar, de tanta tristeza
quis uma flor.
de tanta dor
fez-se a primavera...

4 comentários:

  1. Menino, que belo!
    Tua sensibilidade é imensa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. adorei ...muito bom mesmo... malu esta certa...

    ResponderExcluir
  3. obrigado por comentarem.
    Malu, realmente esse poema é o lado bom da sensibilidade.
    espero ainda existirem letras para expressar ela :)

    valeu!!!
    fui...

    ResponderExcluir
  4. Que bonito,desperta um sentimento doce.

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br